outroscaminhos @ 13:00

Qui, 22/05/08

Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara.”

Olhava para as coisas, recusava-me a ver
Todos nós nos recusamos,
É o evitar do sofrer,
Mas devemos olhar,
Encarar, pensar e ultrapassar;
Nunca desistir, nunca morrer…
Devemos ser humanos,
Ou contrariar o divino,
Pois todos nós pensamos
Que tudo é infinito…
Mas não é.
 
Todos nós perdemos,
Todos nós nos arrependemos,
Todos nós concluímos:
A vida só nos dá uma oportunidade
E apesar de vivermos a nossa verdade
Ela depressa se torna mentira
E em nós resta a ira
De termos desistido.
De não termos conseguido.
De termos morrido.
 
Today, my bird flew away:
Morri… Mas a partir de agora
Em vez de ver, repararei.
 
 
Amadeu Martins
 



outroscaminhos @ 11:34

Qui, 22/05/08

 

É um dia como todos os outros e estamos só os dois. Depois de um abraço longo olho-te nos olhos como faço tantas vezes.
É uma sensação quase mágica, tenho tanto para te dizer mas parece que todas as palavras desapareceram e eu fiquei assim, calada a olhar para ti. Tu não dizes nada, sorris apenas para mim, com um sorriso muito doce que me deixa confortada.
Abraças-me de novo e eu sinto-me pequena, confortável e segura. É como se tudo o que é escuro e mau desaparece-se, ficamos só nós e a nossa felicidade é inabalável.
As palavras invadem-me subitamente, já consigo dizer-te o quão importante és para mim. Já consigo dizer-te que és um ser humano fantástico, que me fazes muito feliz, que sou uma sortuda por ter-te só para mim e que me orgulho muito de tudo o que és.
Consegui dizer tudo, sinto-me mais leve, muito feliz e realizada. Olho-te nos olhos outra vez, agora quem sorri sou eu, fazes-me uma festa de um jeito que só tu sabes. Uma felicidade invade-me, não podia estar mas feliz e tudo por tua causa.
 
Ana Silva

sinto-me: muito feliz contigo


outroscaminhos @ 10:04

Qui, 22/05/08

Num momento de fraqueza

O meu peito sobre o teu.

Sinto o bater do coração

É amor, tenho a certeza!

 

Sinto-o,

Como ao de leve se respira o mar

Sinto-o em mim...

Apenas o quero saborear...

 

É único, o momento

Um só corpo, uma só alma.

Metade calor, metade chama.

É a paixão, o complemento!

 

Agarras-me a mão

Com a força, o medo, o calor...

Aquele que me falta,

Para te poder entregar o meu amor.

 

Não entendo esta divisão!

Não entendo, nem aceito!

Porque não é justo

Fazer do nosso amor pura ilusão...

 

Quero-te aqui

Ao meu lado eternamente...

Abraça-me...

Para sentir que nunca te perdi!

 

 

AMO-TE ANDRÉ AFONSO

 

 

 

Telma Afonso #9


música: Vem cá- Nuno Guerreiro & TT


outroscaminhos @ 16:04

Qua, 21/05/08

O mundo ruí como uma montanha mas a tua vida ruí como um castelo de cartas em equilíbrio. Não desafies o destino porque ele próprio é já o enigma da esfinge.

Não feches os olhos á realidade porque, independentemente do seu conceito filosófico, ela é o teu mundo e tens de conseguir perceber o teu eu.
Mas não me dediques as tuas lágrimas nem esperes que chore contigo. Perdi a habilidade de chorar e sei bem que lágrimas não se dedicam por maior que seja o desespero do afecto humano. Procura alguém que te possa ajudar, que não perceba as tuas lágrimas e te dê a mão. Tenho consciência, apenas, que não há nada que possa fazer por ti, não existe, sequer, sacrifício meu que possa executar para te ajudar.
Percebe o teu eu e ama o futuro intensamente, garante que o amanha existe e faz do meu ombro uma bengala torta se assim o desejares.
Lamento o meu sentimento matemático de tão pratico, mas um corte no coração ou no dedo é-me  já igual porque a minha singularidade está no pensamento.  
Eu percebo-te e compreendo o teu eu e a tua dor e , por isso, imagina que choro contigo e que a minha mão aperta a tua com força. Porém, o único gesto que possa fazer por ti é dar-te um espelho para te enfrentares e um buraco sem fundo para lá deixares o teu grito de sofrimento e descoberta.
 
 
InEs C.
 



outroscaminhos @ 11:40

Qua, 21/05/08

               Experiência mágica que marcou e que nunca será apagada da minha memória, do meu coração. Vi de perto a realidade de estar aos poucos a perder quem se ama, pude sentir a dor, e mesmo assim pude viver momentos de felicidade em que se luta para não transparecer tristeza, para que tudo volte a ficar bem. É como os dias cinzentos de chuva e trovoada em que se espera pelo sol do fim do dia, ás vezes ele vem outras vezes não, e a tempestade prolonga-se durante a noite, durante dias e dias seguidos sem cessar.

Nunca mais serei o mesmo, olharei de outra forma para tudo, verei a luz onde os outros vêem apenas escuridão, porque vale a pena lutar, porque não vale a pena desanimar, porque vale a pena buscar a felicidade, porque a perfeição está na simplicidade e no empenho de alma.
A etapa final foi perfeita, não poderia pedir mais de mim, dos meus colegas e amigos, do projecto em si. Ultrapassou tudo o que em algum dia poderia ter imaginado, e é isto que faz com que me sinta realizado. Os problemas foram esquecidos, as más palavras deitadas para o chão, e o orgulho imperou e ainda impera.
Quero continuar com o meu, o nosso, o projecto que já é de todos. Nada irá acabar aqui, porque quero ainda crescer muito mais, quero-me tornar numa pessoa ainda melhor, cheio de histórias para contar, cheio de experiências que possa para sempre recordar.
 
 
Tiago Mendes
 

sinto-me: orgulhoso


outroscaminhos @ 21:08

Ter, 20/05/08

 

    Surgiste. Foi inesplicável, só sei que adorei. Ultimamente têm surgido imensos caminhos na minha vida, tantos que me chegam a confundir!

    É tão bom sentir que alguém gosta de nós, que nos diz palavras bonitas e nos irradia de felicidade. Amor, paixão?! Pode não ser. Um gesto amigo, um carinho, uma palavra simpática... faz de mim uma menina mais feliz.

    Eu gosto de gostar e de ser amada. Sentir que somos importantes, que possuímos qualidades que cativam os outros, que somos a tentação para alguém... é algo que provoca um friozinho na barriga e um sorriso imbecil. Receber e dar atenção faz parte dos meus pensamentos.   

     Cheguei à conclusão que, o que me estava a faltar nestes últimos dias era atenção, palavras bonitas e verdadeiras, gestos carinhosos e flores coloridas, para me tornar uma menina ainda mais feliz e bem disposta.

Joana Beites

 


sinto-me: Feliz :)


outroscaminhos @ 15:42

Seg, 19/05/08

As árvores são simplesmente árvores. É um facto mas é uma questão idealizada. O romantismo está presente na sociedade. Não, a tendência exacerbada para cair nas esparrelas de uma escaldante historia de amor que arrefece no segundo momento de paixão. Vendem-se mas sobretudo, vendem o amor ( e ainda por cima, cobram pouco!)

Mas estava a falar de árvores. Divagar é mais fácil do que parece, creiam em mim .Ate porque incluo-me numa sociedade altamente metafórica: inventa metáforas, um pouco absurdas e estonteantemente convencionais. Estou na sociedade, não faço parte dela. Mas como estava a dizer, o facto de as arvores serem simplesmente árvores é claro como a água (pronto,como algumas aguas). Mas é como se ao olharmos para elas, víssemos algo a mais. Eu nem gosto de árvores,  por isso nem sou capaz de imaginar muito. Porem, muito escritores dedicaram as palavras à terra. E viram na Natureza o Deus.
Sim, é outra. Gosto da cidade. Idealizamos o campo porque? Onde esta o cinema, o restaurante de fast-food para ir jantar com os amigos rapidamente, o centro comercial para compras de ultima hora, na aldeiazinha escondida do mapa e do mundo onde os tetratetravos cresceram? Não há e se há hoje em dia foi porque construíram há consideravelmente pouco tempo (se fosse homem de Ego cheio, dizia que era de propósito para me contradizerem).
Não! Não sou um terrorista ambiental! Nem tenho o hábito de deitar lixo ao chão e ate faço alguma reciclagem, se bem que, parece-me, é melhor não irmos por ai. Um homem é Homem naquilo que faz sem querer e de coração , não porque esta correcto socialmente ou porque retira vantagens extras disso. Tudo o que se faz deve vir de dentro.
E nisto, já me perdi. Estava a falar de arvores porque há uma em frente da minha casa que me aborrece - Sou alérgico. E porque é que se há de escrever poesias, metáforas, enfim, frases bonitas sobre um pedaço de madeira com uma espécie de coisas verdes penduradas? E a terra, que tem de belo?
Não sei responder as minhas próprias perguntas (isto sim, é triste.Ou então, principio filosófico!) mas a Natureza criou-nos e tem uma estética organizacional própria. Lá no fundo, ate gosto de árvores, apesar de ser alérgico. Não me peçam é para fazer metáforas sobre isso!
 
Maria Ines C.
 



outroscaminhos @ 13:45

Dom, 18/05/08

 

Na passada sexta-feira, dia 9 de Maio, o grupo do "Voluntariado", na sequência da apresentação do seu trabalho final da disciplina de Área de Projecto, possibilitou ao grupo da "Marginalidade" um espaço, onde teve lugar uma banca para a venda de alguns productos da associação  “O Ninho”.

 Ao proporcionar, não só a venda de alguns dos seus trabalhos manuais, mas também a divulgação da respectiva associação, o grupo da "Marginalidade" agradece, desde já aos membros do grupo do voluntariado que nos deram esta oportunidade, bem como às técnicas de "O Ninho", nomeadamente a sra. Nazaré Navarro e a sra. Luísa Chadel, que estiveram presentes nesse dia na Escola Secundária da Amadora, responsabilizando-se pela banca.

Acrescentamos que a organização e todo o evento proporcionado pelo grupo do "Voluntariado" foi muito positiva e agradável, permitindo, deste modo, uma boa oportunidade para a venda dos produtos. Por tudo isto, o nosso sincero obrigado!

 

O Grupo




outroscaminhos @ 12:47

Sab, 17/05/08

 

          Há projectos e trabalhos que nos marcam para sempre. O trabalho de Área de Projecto que desenvolvemos ao longo do ano foi, sem margem para dúvida, um desses projectos marcantes.

         A escolha do tema foi quase instintiva: era mesmo aquilo que queríamos, era aquilo que nos interessava, era aquele tema que estávamos dispostos a explorar de forma dinâmica e com muita vontade.

        Ao longo do ano o trabalho não foi fácil, mas a nossa vontade e o nosso gosto por aquilo em que estávamos a trabalhar era tanto que conseguimos sempre ultrapassar tudo.

       O trabalho de voluntariado que fizemos foi incrível e marcou-me de uma forma única trazendo-me uma satisfação pessoal que não esperara no início. Todas as experiências com as crianças foram fantásticas e nunca serão esquecidas.

       Este trabalho ensinou-nos muito: ensinou-nos a nunca desistir daquilo em que acreditámos, ensinou-nos que o sonho aliado ao trabalho e ao esforço se pode realizar, ensinou-nos a ter paciência e a acreditar que somos capazes, ensinou-nos a nunca baixar a cabeça e a orgulharmo-nos sempre quando fazemos o que está certo. Este trabalho ensinou-nos que TUDO VALE A PENA.

       Com este trabalho crescemos e aprendemos coisas muito importantes que nos serão muito úteis no nosso futuro. Fizemos um óptimo trabalho e nada pode esbater o orgulho que temos em nós mesmos.

 

 

Ana Silva


sinto-me: muito realizada


outroscaminhos @ 10:50

Sex, 16/05/08

 Algo inexplicável, algo já visto e escutado vezes sem conta, mas nunca tocado ao pormenor. Vi-a, apreciei-a, olhando-a. Era algo diferente, algo especial, era perfeita. O seu som, emitido pelas suas cordas, era tudo, sinfonia, música de todos os géneros, alegria, tristeza.

 Por fim, chegara o momento, aquele em que iria tocar-lhe, deixá-la soltar as suas notas, apesar de ainda “desafinadas”devido à pouca prática. Ansiedade, receio, parecendo-me frágil mas forte, mas ao mesmo tempo curiosidade, esperança e um certo atrofio, pois o seu tamanho não se adequava perfeitamente a mim ^^, tudo aquilo foi sentido. Soltei com ela algumas simples notas, à medida que o tempo passava, mais complexas, mais combinações das mesmas, mais energia, mais empenho e pelo meio, alguns enganos e risos (e umas pancadinhas na minha perna com as baguetes da bateria, como castigo pelo engano ^^).

 Música é, por vezes, o que nos ajuda em momentos difíceis ou fáceis, a ultrapassar determinadas situações, transmitindo – nos diversas emoções e sentimentos. Música faz parte da minha vida e nela preenche um importante lugar. =)

 

 

 Foi, no fundo, um momento bem passado…

 

Obrigado, Inês por me mostrares o quanto adoro tocar guitarrinha e pela paciência para me aturares (que eu sei que não é fácil) xD.     (Depois pago, ou não =P)***

 

 

Daniela Araújo

 


sinto-me: cheia de música xD
música: Rette mich (instrumental) [qero aprender esta^^]

Depois de concluirmos uma etapa, e porque a vida não pára, chegam novas aventuras e novas descobertas por novos caminhos....
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13


25
28
30


Encontre o caminho
 
subscrever feeds
blogs SAPO