outroscaminhos @ 18:19

Seg, 29/09/08

 

Deitada em cima da cama sou subitamente invadida por um turbilhão de sentimentos. São uma mistura de medo, insegurança, desconforto, desconfiança e ansiedade. São sentimentos negativos que me enchem de dúvidas e inseguranças.
Ao princípio não percebo porque me perturbam tais sentimentos mas depois percebo que já só falta uma semana para entrar num novo mundo, para abraçar um novo desafio e por isso começo a sentir medo.
Agora mais que nunca sinto medo de falhar, sinto medo de não conseguir, de me desiludir a mim própria e aos que tanto esperam de mim. Agora a confiança abandona-me por completo.
De repente, paro de pensar por um segundo e percebo que não posso ser domada por sentimentos tão negativos. Agora, mais que nunca, o meu lado positivo tem que estar bem presente, é preciso esquecer o que pode correr mal e pensar apenas no que vai correr bem. É preciso ter a mente aberta a tudo o que de novo se irá apresentar diante de mim. É preciso acreditar que escolhi o caminho certo e que vou ter força para o percorrer até ao fim.
Deitada em cima da cama sou subitamente invadida por uma onda de confiança e sentimentos positivos. Levanto-me. Sorrio. Eu vou conseguir. 
 
   
 
Ana Silva

sinto-me: a entrar numa vida nova


outroscaminhos @ 14:21

Dom, 28/09/08

 

   Ano novo, vida nova. E para nós que entramos no mundo do Ensino Superior (ou noutro mundo paralelo) é efectivamente tudo novo.

   Temos que nos habituar psicologicamente para uma longa semana de praxes em que somos tratados por "BIchos" que não riem, que não falam, que apenas rastejam e participar em todas as "brincadeiras" que os veteranos organizam nas suas mentes algo perversas. No entanto são estas praxes que nos tiram aquele ego que vai muito cheio e que obviamente nos põem à vontade e nos fazem conhecer as pessoas que partilharão connosco os próximos quatro anos. Basta levar tudo na brincadeira :-)

 ( e já agora pensar que para o ano seremos nós a praxar). 

    Para além disto, o secundário dá bastante preparação para a faculdade, pelo menos na minha opinião. (Sim! Porque ainda não me esqueci de certas apresentações que uma pessoa tem que fazer para ter boas notas, não é?! Enfim...) 

    Bem talvez eu esteja para aqui a escrever isto tudo porque ainda não fui praxado, porque ainda não entrei bem naquilo que é o Ensino Superior, mas está mesmo quase... E pelo menos mais vale ir com pensamento positivo antes de levar com o penico de água pela cabeça abaixo... 

      Estas são as minhas expectativas, mas prometo ir-vos contando tudo o que é para mim REALMENTE a faculdade, e como tal penso que todos podíamos escrever aqui o que nos vai acontecendo, todos os da turma 7, sim aquela turma que pronto... foi aquela turma lol, estejam no ensino superior, a trabalhar, a fazer tricot em casa, o que for...

    O que é importante é que este blog continue vivo e que possa servir de exemplo (ou não!) ou pelo menos de entretimento aos nossos leitores!

 

   Já sabem escrevam e comentem! Eu vou passando por cá se o tempo me permitir, porque nem horas de almoço tenho ! Pois é: Faculdade!

 

 

 

 

 

Amadeu Martins


sinto-me:
música: John Mayer - Waiting On The World To Change


outroscaminhos @ 17:07

Sab, 27/09/08

 

Dias em que o nada e o tudo se confundem
Estar parado incomoda, fazer alguma coisa cansa
Querer o nada e o tudo mas nenhum deles conseguir.
 
Hoje para mim é um dia desses…
Nada que faça ou o que não faça me concretiza!
Vazio e euforia invadem-me e não escolho nenhum deles
Porque não os sinto, nem no coração nem no pensamento.
 
Grito para dentro de mim,
Momentaneamente fico melhor mas rapidamente volto ao início.
Descubro que me faltas tu.
És tu que eu sinto, és tu que eu quero!
E não aquilo que faço sem ti.
 
E agora? Grito a chamar por ti.
 
Tiago Mendes
 
 

 


Tags:


outroscaminhos @ 22:18

Sab, 13/09/08

   Pois é! Agora que o momento se aproxima de muitos de nós, milhares em todo o país, resta desejar sorte e que todo o esforço que desempenhámos durante três anos dê os seus frutos. 

   Hoje à meia-noite o nosso futuro é resolvido!! Agora só resta esperar e ser feliz!!! 


   Boa sorte para todos :-P 

 




outroscaminhos @ 20:59

Ter, 09/09/08

  Imagina-te num corredor com inúmeras portas. Nunca estiveste ali, desconheces o que está por detrás de cada uma. Pois é este corredor é simplesmente a tua vida e atrás das portas estão todos os caminhos que podes seguir, todas as decisões que podes tomar, todas as opções que podes ter em consideração em determinado momento.

  Cuidado. Lembra-te sempre que não sabes o que está atrás de cada porta, e que apenas vês uma superficie opaca. E então? Não vais arriscar? Arrisca. Escolhe um caminho, uma porta e entra sem exitar. Prepara-te pasa as surpresas do destino e entrega-te ao caminho do acaso. Não! Não estou a dizer que tomes todas as atitudes insconscientemente, nem sequer que te atires ao primeiro risco. Mas não vivas sem arriscar. Atira-te de cabeça e saboreia as coisas boas, aprende com as coisas más. Ao fim ao cabo o que adianta estar parado naquele corredor, a olhar para todas as portas a pensar o que está por de trás delas? Nada. A vida não é para estarmos parados. 

  Domingo à meia noite vamos estar no corredor que vai decidir o caminho que vamos seguir nos próximos anos. No entanto, aqui é diferente. Apenas temos a chave para uma das portas e não somos nós que escolhemos qual a porta em que a chave entra. É por isso que estamos nervosos à espera que a porta se abra e nos mostre o que tem por detrás da sua superfície opaca. detrás. Mas mesmo nessa há coisas boas. Apenas se tem que Atenção há uma porta que abre sempre nem que seja aquela que tem as coisas menos boas. Mas até nessa existem coisas positivas apenas temos que as procurar mais para as poder encontrar. 

  Os dados estão lançados, as chaves escolhidas. Boa sorte e procurem sempre o melhor caminho.  Saiam do corredor e arrisquem !!!

 

Amadeu Martins

 


sinto-me: com vontad de seguir em frente


outroscaminhos @ 11:39

Dom, 07/09/08

 

Ilusão na publicidade:

 

 

Pinturas a 3 dimensões do pintor Julian Beever:

 

 

 

   E agora uns jogos...

 

 

    Concentre-se no ponto negro central e assista ao desaparecimento das manchas coloridas:
 
 

 

Parado ou em movimento?

 

 

Qual é a mensagem escondida?

 

 

(Afaste-se do ecrã se nao conseguir desvendar o enigma)

 

Tiago Mendes




outroscaminhos @ 14:10

Qua, 03/09/08

 

A vida com cor é muito mais animada
 
 

 

 

Os brinquedos de antigamente...

 

 

 

 

 

Tiago Mendes




outroscaminhos @ 20:16

Seg, 01/09/08

    O serviço de Cuidados Intensivos não é fácil. Todos os dias entram e saiem doentes. Uns chegam tão mal, os prognósticos são muito reservados. Os médicos apenas dão algumas armas, resta a cada coração lutar pelo seu batimento.

   Por vezes o coração fica tão cansado que não consegue resistir e para de fazer aquela função. Deixou de bombear o sangue. Deixou de bater. Os médicos e enfermeiros apressam-se a fazer tudo aquilo que podem para o estimularem e fazerem com que ele volte a bater. É preciso força, é preciso luta, é preciso insistência. É uma guerra onde não há dois lados, apenas um. O coração não quer voltar a bater. Já passaram 20 minutos e não houve qualquer reacção. Denota-se o cansaço nos médicos e nos enfermeiros, denota-se a tristeza, mas há uma esperança no fundo do olhar daquelas pessoas.

   Olha-se insistentemente para o relógio. Passaram 30 minutos. Todos sabem que a cada segundo que passa as hipóteses de ele reagir reduzem 50%. Não desistem. Soam. Fazem todos os possíveis, aplicam todas as drogas que têm à sua disponibilidade. Fazem as manobras. Começa a sentir-se um nervosismo desconfortável. Todos sabem que aquele coração não voltará a bater. O som continuo e penetrante do monitor quebra o silêncio triste que reina entre toda a equipa. É a morte que se aproxima.

    Em palavras que saiem sílaba a sílaba o médico declara o óbito. A máquina desliga-se imediatamente e o silêncio congela tudo o que se passa à volta. Não há mais doentes, não há mais ninguém. É preciso sofrer ali. Deixar ali tudo. O sentimento de perda. O sentimento de dor e o sentimento de impotencia. Não há lágrimas nem choros, apenas silêncio. Passados alguns minutos recomeçam regressar a realidade. Sabem que ainda há muito para fazer: desentubar, tirar tudo e isso, talvez o mais complicado, avisar a familia.

    Nunca se diz ao telefone o que aconteceu, apenas se chama a familia. Por vezes tenta-se aligeirar o ambiente com algumas conversas, mas não resulta. Todos sabem que ainda têm uma situação dificil. A familia chega. A equipa reune-se. O médico, mesmo tentando evitar, não consegue ser directo. A familia percebe. Abate-se a dor, a tristeza e o desespero. A equipa sofre em silencio, pois a sua função é apoiar.

   A situação acalma. O trabalho continua. A vida é para a frente. Existem mais doentes e muitos deles que entram muito mal conseguem sair bastante bem. As situações más ficam ali encarceradas dentro daquelas quatro paredes. As situações boas, essas utilizam-se como forças de impulsão para um novo dia, um novo caso, um novo doente...

   

 

                                                                                                                        Amadeu Martins

 


sinto-me: c/ admiração pelas equipas

Depois de concluirmos uma etapa, e porque a vida não pára, chegam novas aventuras e novas descobertas por novos caminhos....
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

30


É hora de caminhar...
Caminha-se melhor com música
Encontre o caminho
 
Caminha-se melhor com música
subscrever feeds
blogs SAPO